Edições Histórico dos Concertos Notícias Contactos
Notícias [Arquivo]

  Palácio Foz, Recital de Canto e Guitarra, 25 de Maio - 18h30   voltar

- Marina Bollain, voz e castanholas - Teresa Folgueira guitarra |Obras de F. García Lorca, I. Albéniz e M. de Falla

Ciclo de Música Espanhola do Século XX
Co-Organização: Instituto Cervantes e Embaixada de Espanha
Produção: JMP
Apoio: GMCS

Programa

Federico García Lorca
Canciones Populares Antiguas
I. Anda jaleo
II. Los cuatro muleros
III. Las morillas de Jaén
IV. Sevillanas

Isaac Albéniz
Asturias (solo de guitarra y castañuelas)

Federico García Lorca
El café de Chinitas
Los pelegrinitos
Los mozos de Monleón
Las tres hojas
Los reyes de la baraja

Isaac Albéniz
Sevilla

Manuel de Falla
Siete Canciones Populares Españolas
I. El paño moruno
II. Seguidilla murciana
III. Asturiana
IV. Jota
V. Nana
VI. Canción
VII. Polo

Federico García Lorca
Zorongo
La Tarara



Marina Bollain voz e castanholas
Natural de Madrid, ali estudou Canto e Germânicas. Em 1993 foi residir para Berlim, onde se diplomaria em Canto e Direcção Cénica de Ópera.
Desde 1994 que actua como artista convidada em importantes teatros alemães, tais como a Ópera de Leipzig (Der Schuhu und die fliegende Prinzessin de U. Zimmermann), a Ópera Cómica de Berlim («Pauline» em La Vie Parisienne de J. Offenbach), no Teatro do Povo de Rostock («Anna Reich» em Die lustigen Weiber von Windsor de O. Nicolai) e na Festspielhaus Hellerau de Dresden («Blonde» em Die Entführung aus dem Serail de W. A. Mozart). Há seis anos que colabora na Fundação «Yehudi Menuhin» de Berlim, para a qual tem dado vários concertos.
O seu repertório inclui igualmente a música espanhola, havendo já gravado três discos compactos com canções de Federico García Lorca, Fernando Sor e Enrique Granados. Na Alemanha, tem-se dado a ouvir em concerto na Schauspielhaus (Berlim), na Philarmonie (Berlim), na Konzerthaus Halle (Halle an der Saale) ou na Frauenkirche (Dresden) e, fora daquele país, já cantou, para além da Espanha, em Itália, França, Irlanda, Noruega, Líbano, Sérvia, Rússia, Etiópia, Ilhas Seychelles, Guiné Equatorial e Camarões.
Tem trabalhado com actriz em várias produções cinematográficas, bem como para as televisões de Madrid e de Sevilha, havendo sido galardoada com o Prémio Melhor Actriz no Festival de Cinema de Gijón de 1992. Nos últimos anos tem-se dedicado, em paralelo com a sua actividade de cantora, à dramaturgia e direcção de cena. Nestes domínios, são de sua autoria as encenações da zarzuela La Verbena de la Paloma, para o Festival de San Lorenzo del Escorial, do espectáculo intitulado Harragas, sobre a imigração marroquina em Espanha, e a montagem da zarzuela Adios Julián, que estreou em Buenos Aires (Argentina), São José (Costa Rica) e na Kulturbrauerei de Berlim.
Encenou e escreveu o libreto para a ópera de câmara Cuerpos Deshabitados, com música de José María Sánchez-Verdú, cuja estreia teve lugar em Madrid e, no futuro, será apresentada na Argentina, Uruguai, Chile, Peru, Costa Rica, México e Berlim, nesta cidade no Festival de Música Contemporânea UltraSchall. Também remontou a zarzuela La Verbena de la Paloma no Hebbel-Theater de Berlin.
Marina Bollain foi, em 1999, bolseira da Academia de Espanha em Roma e igualmente bolseira do Ministério da Cultura do seu país, entre 2000 e 2003, durante os anos em que estudou Direcção de Cena em Berlim.

Teresa Folgueira guitarra
Nascida em Madrid, iniciou muito cedo os seus estudos musicais com Carlos Perón, na Academia Arte e Música, em cuja classe viria a concluir o respectivo grau intermédio.
Ingressou posteriormente no Real Conservatório Superior de Música de Madrid, onde se diplomou sob a orientação de José Luís Rodrigo. Em seguida, fez a pós-graduação com Miguel Ángel Jiménez e a sua formação final com Gerardo Arriaga.
Frequentou cursos de aperfeiçoamento ministrados por Demetrio Ballesteros, Manuel Estévez, Carles Trepat, Margarita Escarpa, José Tomás, Ana Jenaro, Odair Assad, Zoran Dukić, David Russell e Pepe Romero.
Já se apresentou a solo ou em conjunto no Centro Cultural de la Villa, no Centro Cultural Conde Duque, no IFEMA, no Museu dos Caminhos de Ferro, na Fundação Juan March, na Embaixada da Polónia em Espanha, no Instituto Francês de Espanha e em várias cidades da Polónia, nomeadamente em Szczecin e Subauki.
Da sua participação em concursos, merece especial destaque o 2.º Prémio no XV Festival de Guitarra de Comillas.
A par da sua formação, leccionou cursos em escolas de música da Comunidade de Madrid, onde colabora também no desenvolvimento do projecto de expansão e difusão da música. Actualmente lecciona o seu instrumento numa escola daquela cidade.

(JMP), 11-05-2009
Copyright © 2006-2019 Grupo MediaMaster. Todos os direitos reservados.